UOL Testa: Celulares

A beleza é frágil: Galaxy S8, rival do iPhone 8, é celular quase perfeito

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

Se beleza é o que você busca em um celular e você pode pagar por ela, não tem erro: o Galaxy S8 é o mais bonito disponível atualmente em lojas brasileiras – lembremos que o novo iPhone ainda não está por aqui. O caríssimo top de linha da Samsung tem entre seus destaques o design e a tela infinita que arranca suspiros. Mas a própria beleza tem seus defeitos – incluindo sua fragilidade.

No caso do S8, toda nudez será castigada. Ou seja: você provavelmente vai ter que usar uma capa com o celular - já percebemos isso quando testamos o S8+. A Samsung até mandou uma capa muito boa para testarmos o modelo. O ruim é que ela tira muito da essência do aparelho: sua beleza. Mas melhor do que gastar mais R$ 1.200 consertando uma tela de um aparelho que já custa pelo menos R$ 3.000.

É bom lembrar que o Galaxy S8 compete mais diretamente com o futuro iPhone 8 em faixa de preço - o iPhone X competiria com o Galaxy Note 8. Ainda não testamos o iPhone 8 e nem temos data do lançamento no Brasil, mas é provável que em sua faixa de preço o S8 continue reinando em termos de beleza, já que conta com a tela infinita adotada apenas no X.

Design de elite

Se você for a qualquer loja e olhar os celulares disponíveis, com certeza o Galaxy S8 vai chamar a sua atenção. Em primeiro lugar pela tela infinita, que deixa uniforme o design frontal do aparelho. Nem é preciso dizer que a tela, com qualidade Super Amoled, é excelente para assistir a qualquer conteúdo no celular – é uma tela de 5,8 polegadas no mesmo corpo do S7 de 5,1.

Mas o modelo não é bonito só pela tela infinita. A construção inteira do S8 impressiona. O corpo de vidro atrás também deixa o aparelho bastante elegante - a Apple também voltará a adotar corpo de vidro em sua nova linha de iPhones. O acabamento dele nas laterais é algo especialmente bem feito. É difícil apontar uma falha em sua beleza – até o repaginado Android desta edição está mais elegante com novos ícones.

Vinicius Andrade/UOL
Galaxy S8 tem corpo de vidro na traseira

Talvez a maior falha do seu design seja, mesmo, ele ser frágil. No nosso teste com o S8+, ele exibiu um leve risco na tela com apenas uma semana de uso. Desta vez, isso não ocorreu – talvez por causa da boa capa da Samsung. De qualquer forma, é complicado pagar um alto valor em um smartphone e ter a constante preocupação de evitar um arranhão ou uma queda. No lançamento da Apple, a maçã alegou que o iPhone 8 será o celular de vidro mais resistente já visto no mercado. 

E ao menos em termos de pegada o Galaxy S8 é melhor do que seu "irmão" maior. O tamanho dele deixa o uso com uma mão tranquilo em quase tudo que você for fazer. Quase tudo porque digitar não será tão simples assim segurando o aparelho com apenas uma das mãos – em parte também por causa do teclado nada legal dos celulares da Samsung, pior do que os do iPhone e Google Pixel.

Câmeras de respeito

As câmeras do Galaxy S8 também dão extrema relevância ao aparelho. Elas são uma das melhores do mercado, ao menos em termos de qualidade. O modelo da Samsung só compete pela primeira colocação em câmeras com o Xperia XZ Premium e o Zenfone 3 Zoom, que também fazem ótimas imagens.

UOL
Câmera principal do Galaxy S8 tem riqueza de cores e contraste

A principal, com 12 MP, manteve o padrão de sucesso do Galaxy S7, sem inovar. As imagens com ela saem incríveis em termos de contraste de cores, qualidade e adaptação à luz do ambiente. A estabilização ótica também deixa as fotos sem tremidas indesejadas. A perfeição das imagens até impressiona.

O aparelho só não conta com uma câmera dupla – o Galaxy Note 8, lançamento recente da Samsung que ainda não chegou por aqui, já vem com esse hardware. Por ter apenas uma câmera principal, o S8 não faz imagens com profundidade de campo, como o iPhone 7 Plus (e agora o o 8 Plus e o X) e o Zenfone 3 Zoom, ou com uma lente grande angular, como o LG G6.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Zoom da câmera do Galaxy S8 (foto) não é tão bom como do iPhone 7 Plus e Zenfone 3 Zoom

A câmera de selfie, com 8 MP, também tem as mesmas qualidades da principal, talvez só sofrendo um pouco com iluminação forte - nada que tire a alta qualidade das fotos. Ela também conta com funções divertidas como diversos filtros e o modo embelezamento.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Selfie com a câmera do Galaxy S8 na luz natural

É também possível ligar o timer da câmera frontal quando você ergue a palma da sua mão na direção da imagem. É uma ferramenta bacana por deixar as fotos mais estabilizadas ainda.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Câmera de selfie do Galaxy S8 em luz artificial

Desempenho de honra e bateria de chorar

O desempenho do Galaxy S8 também está entre os melhores dos aparelhos que já testei – o iPhone 7 e do Xperia XZ Premium talvez liderem ligeiramente esse quesito. O modelo da Samsung, contudo, só fica um pouco atrás em relação aos dois citados.

Você vai conseguir fazer quase tudo no smartphone sem nenhum problema. O que incomoda em muitos momentos é a demora da resposta entre o touch e a abertura de um aplicativo. Fora isso, é um celular excelente para quem vai fazer uso pesado e tirar o máximo de um aparelho – gamers, estamos falando com vocês.

Vinicius Andrade/UOL
Galaxy S8 quase não tem defeitos no design e vai bem no desempenho

No teste de desempenho feito com o aplicativo Geekbench 4, o S8 se saiu muito bem: conseguiu 6744 pontos quando considerados todos os seus núcleos. É o melhor resultado entre todos que o UOL Tecnologia já testou, à frente até do S8+. Quando considerados cada um de seus núcleos, o dispositivo alcançou 2006 pontos. Um bom resultado, mas o iPhone 7 Plus continua reinando com 3434.

A bateria, no entanto, não agradou nada. Esse é, por sinal, um dos dois itens em que o modelo tem diferenças em relação ao S8+ (o outro é a tela). No S8, não conseguimos que a bateria durasse por um dia completo nenhuma vez. E olha que fizemos um uso apenas moderado do aparelho, com redes sociais, WhatsApp, câmera e alguns poucos jogos.

Foi impressionante ainda o gasto da bateria durante a madrugada, quando o celular estava em stand-by conectado ao Wi-Fi e dados móveis. Algo semelhante foi visto apenas com o Zenfone 3 Zoom, mas que ao menos tinha bateria respeitável de 5.000 mAh. Por outro lado, o S8 consegue ter um rápido carregamento na tomada – no USB do computador, esqueça, vai demorar horas e horas.

Desbloqueie o celular com seu olho

Uma das novidades do S8 foi, ainda, a possibilidade de desbloquear o aparelho apenas com o seu olho. O reconhecimento de íris funciona muito bem, apesar de ser ruim ter que afastar sempre o celular do rosto e as dificuldades do reconhecimento quando você está sob a luz do sol ou acabou de acordar.

Esse tipo de desbloqueio é importante levando em conta a mudança do local do leitor de digitais. Ele foi para a traseira do aparelho, bem do lado da lente da câmera. É fácil confundir os dois e o leitor de digitais na traseira não funciona tão bem como na frente.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Efeito na câmera de selfie do Galaxy S8

O software do aparelho é o Android 7, que ficou mais bonito e mais simples no S8. A Samsung ainda implantou no modelo o Bixby, seu assistente virtual. Mas esqueça ele: a ferramenta não tem nem data para ser usada na língua portuguesa.

Vale a pena?

O S8 até sofreu uma redução de preço – chegou custando R$ 4.000 em maio e agora já pode ser encontrado por R$ 3.000. Existem outros tops de linha mais baratos, como o iPhone 7 e o LG G6. É bom levar em conta que o preço dos celulares da Samsung costuma cair com mais rapidez após seis meses de lançamento, então em breve o S8 pode estar ainda mais barato.

De qualquer maneira, é um smartphone bem caro. Se você tiver esses recursos em mãos, saiba que terá um aparelho potente e o mais belo disponível no mercado, contando também com uma incrível câmera. Só cuidado não deixar essa beleza se despedaçar pelo chão...

Direto ao ponto: Samsung Galaxy S8

Tela: 5,8 polegadas Quad HD+ Super Amoled
Sistema Operacional: Android 7.0
Processador: Exynos 9 8895 Quad-core 2.3 GHz + Quad-core 1.7 GHz
Memória: 64 GB de armazenamento e 4 GB de RAM
Câmeras: 12 MP (principal) e 8 MP (frontal)
Dimensões e peso: 148.9 x 68.1 x 8 mm e 155 gramas
Bateria: 3.000 mAh
Pontos positivos: ótima tela, design e câmera
Pontos negativos: celular frágil e muito caro
Preço: a partir de R$ 3.000 em lojas varejistas

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos