Qual o melhor desempenho?

Nos testes do UOL, os novos iPhones e celulares da Motorola brilharam

Rodrigo Trindade Do UOL, em São Paulo
Arte UOL

Desempenho é aquilo que nem sempre prestamos atenção quando usamos o celular, mas que faz toda a diferença se paramos para ver quanto tempo leva para sair do WhatsApp e abrir o navegador ou quantas vezes o sistema travou. Ao longo de 2018, o UOL Tecnologia testou 13 celulares, e no quesito "performance" alguns se destacaram.

Como não dá para misturar um modelo basicão com um iPhone que custa R$ 10 mil, listamos abaixo os melhores em cada categoria: top de linha, intermediário premium, além da junção dos intermediários (padrão) com os básicos. Confira!

Getty Images/iStockphoto Getty Images/iStockphoto

O que influencia no desempenho?

Se você se preocupa com o desempenho do celular, deve prestar atenção a três coisas. Em primeiro lugar vem o processador, que dá o poder para o smartphone trabalhar com rapidez. Depois vêm memória RAM, que determina quantas tarefas o aparelho pode fazer ao mesmo tempo. E, por fim, o sistema operacional --se mais avançado, normalmente é mais ligeiro. Às vezes, esses fatores não são culpados pelas travadas do celular, que podem acontecer por causa de aplicativos que não foram programados direito para aquele dispositivo e seu sistema operacional.

O que é benchmark?

Uma forma de avaliar o desempenho de celulares é com aplicativos de benchmark, que medem a capacidade dos processadores de cada dispositivo. Nos aparelhos mencionados aqui, usamos nota da performance média de cada núcleo (core) e de todos os núcleos em conjunto, segundo medição do serviço Geekbench.

Top de linha - especificações

  • iPhone XR

    Processador Apple A12 Bionic; 3 GB de memória RAM; sistema operacional iOS 12

  • iPhone XS Max

    Processador Apple A12 Bionic; 4 GB de memória RAM; sistema operacional iOS 12

    Imagem: Arte UOL
  • Galaxy Note 9

    Processador Snapdragon 845; 6 ou 8 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8

  • Galaxy S9+

    Processador Snapdragon 845; 6 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8

  • LG G7 ThinQ

    Processador Snapdragon 845; 6 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8

Os testes

  • Benchmark

    Rodando o Geekbench nos cinco aparelhos, fomos surpreendidos pelos resultados. Em primeiro lugar aparece o iPhone XR, com 11.435 pontos na avaliação multinúcleos, seguido do LG G7 ThinQ, com 8.962. Em terceiro ficou o iPhone XS Max, com 8.299, seguido pelos Galaxy S9+ (7.359) e Galaxy Note 9 (7.266). Na média por núcleos, a ordem foi: iPhone XR (4.760); iPhone XS Max (3.428); Note 9 (2.895); G7 ThinQ (2.436); e Galaxy S9+ (2.343).

    Imagem: Arte UOL
  • Avaliação de uso

    Todos os aparelhos, exceto o LG G7 ThinQ, receberam nota 5 na avaliação do UOL Tecnologia. Se houve diferenças entre eles, elas foram muito sutis, porque nenhum dos iPhones ou Galaxies sofreram com travadas no uso do dia a dia, ao contrário do G7 ThinQ. O celular da LG foi o único a apresentar engasgos, por isso recebeu a nota 4. Quanto aos demais, as variações eram questões de segundos que os smartphones levavam para abrir um ou outro aplicativo.

    Imagem: Arte/UOL
Arte UOL Arte UOL

Conclusão

Considerando nossas impressões e as avaliações de benchmark, os dois modelos de iPhone lançados em 2018 ganharam. Mas, na prática, não sentimos tanta diferença no uso do XS Max e do XR, embora os testes do Geekbench revelem que o modelo mais barato se sai melhor.

O desempenho superior dos iPhones é resultado do A12 Bionic, processador exclusivo da Apple foi o segundo a vir com apenas sete nanômetros --a primeira foi a chinesa Huawei. Graças a essa tecnologia, o chip dos iPhones é o mais poderoso de toda turma.

Entre os quatro que usam o melhor processador da Qualcomm, o Snapdragon 845, o Galaxy Note 9 foi o que mais se destacou.

iPhone XR ou iPhone XS Max: qual é o melhor?

Intermediário premium - especificações

  • Samsung Galaxy A8

    Processador Exynos 7885; 4 GB de memória RAM; sistema operacional: Android 7.1

    Imagem: Arte UOL
  • Sony XA2 Ultra

    Processador Snapdragon 630; 4 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8

    Imagem: Arte UOL
  • Moto Z3 Play

    Processador Snapdragon 636; 4 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8.1

    Imagem: Lucas Lima/UOL
  • Zenfone 5

    Processador Snapdragon 636; 4 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8.0

    Imagem: Lucas Lima/UOL

Os testes

  • Benchmark

    Na análise feita com o Geekbench, tivemos resultados diferentes entre os teste multinúcleos e o da média por núcleo. No primeiro caso, o líder foi o Moto Z3 Play, com 4.868 pontos, seguido de perto pelo Zenfone 5, com 4753. O lanterna foi o XA2 Ultra, com 4.141, enquanto o Galaxy A8 registrou 4.375. Por outro lado, o celular da Samsung foi o melhor na média por núcleo, com 1.526, seguido do Zenfone (1.335) e do Moto Z3 Play (1.309). Com 846, o aparelho da Sony ficou em último.

    Imagem: Arte UOL
  • Avaliação de uso

    Em nossa experiência, os quatro celulares receberam nota 4 --mesmo o Galaxy A8, que chegou a ter alguma engasgada no período de testes, mas que não chegou a comprometer o desempenho. Os demais rodaram sem nenhuma travada, inclusive o Xperia XA2, o pior segundo a análise do Geekbench.

    Imagem: Arte UOL
Arte UOL Arte UOL

Conclusão

Entre os quatro intermediários premium, o Moto Z3 Play é o que se destaca, com resultado superiores aos concorrentes nos testes de benchmark e uma vantagem no sistema operacional, por ter a versão mais recente do Android. Em comparação aos outros da categoria, o Galaxy A8 é o que menos se destaca, afinal apresentou problemas discretos de desempenho no nosso teste e era o mais defasado quanto ao sistema operacional -- mas vale dizer que, desde então, ele foi atualizado para o Android 8.0.

Assista ao review do Moto Z3 Play

Intermediários e básicos - especificações

  • Moto G6 Plus

    Processador Snapdragon 630; 4 GB de memória RAM; Sistema operacional Android 8.0

    Imagem: Lucas Lima/UOL
  • Samsung Galaxy A6+

    Processador Snapdragon 450; 4 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8.0

    Imagem: Lucas Lima/UOL
  • Samsung Galaxy J7 Prime 2

    Processador Exynos 7870; 3 GB de memória RAM; sistema operacional Android 8.0

    Imagem: Lucas Lima/UOL
  • Moto E5 (básico)

    Processador Snapdragon 425; 2 GB de memória RAM; Sistema operacional Android 8.0

    Imagem: Lucas Lima/UOL

Os testes

  • Benchmark

    Nos testes multinúcleo do Geekbench, o Moto G6 Plus levou boa vantagem em relação aos concorrentes, atingindo 4.161 pontos, contra 3.865 do Galaxy A6+ e 3.599 do Galaxy J7 Prime 2. Em uma categoria inferior, o Moto E5 teve resultados piores, como era esperado: 1.794. Mas na avaliação da média por núcleo, o Moto E5 até fez alguma sombra, com 646 pontos, contra 718 do Galaxy J7 Prime 2 e 733 do Galaxy A6+. O Moto G6 Plus se mostrou claramente o vencedor, com 871.

    Imagem: Arte UOL
  • Avaliação de uso

    Em nossas avaliações, o Moto G6 Plus e o Galaxy A6+ se destacaram, ganhando nota 4. Os dois não mostraram travadas no uso, só uma lentidão. Mais humilde, o Moto E5 era mais lerdo que os colegas, mas também não deu travadas. Ele ganhou nota 3, assim como o Galaxy J7 Prime 2, que chegou a engasgar enquanto testamos.

    Imagem: Arte/UOL

Conclusão

Cruzando os dois critérios, o Moto G6 Plus se destaca como o mais poderoso entre os celulares desse agrupamento, seguido pelo Galaxy A6+. A decepção fica por conta do Galaxy J7 Prime 2, cujo desempenho deu sinais de um aparelho mais para o tipo do Moto E5 do que de seus pares intermediários.

Assista ao review do Moto G6 Plus

Curtiu? Compartilhe.

Topo